O labirinto dos ossos – Rick Riordan ?>

O labirinto dos ossos – Rick Riordan

Amy e Dan Cahill sonham em morar com a avó desde que seus pais morreram. Grace Cahill, durante as visitas dos irmãos, ensinou e incentivou mais os dois do que a tia Beatrice, a guardiã legal dos dois, já fez em sua vida toda. Mesmo assim, ela não tomou a guarda dos dois para si.

E um dia foi tarde demais. Grace perdeu a batalha contra a doença que assolava seu corpo e morreu.

No enterro da avó, Amy e Dan reveem parentes conhecidos e conhecem novos. Os irmãos não gostam de praticamente nenhum deles. Ao serem chamados para ouvirem o testamento de Grace, os dois reconhecem seus parentes mais detestáveis na sala junto a eles. Lá, todos recebem duas opções: ganhar imediatamente um milhão de dólares ou a primeira de 39 pistas.

Essas 39 pistas podem levar a dois caminhos: quando juntas, a um segredo que pode fazer de quem o possui a pessoa mais poderosa do mundo, ou à morte.

Contrariando todas as ameaças da tia Beatrice e dos outros primos, os irmãos Cahill queimam seus 2 milhões de dólares e aceitam a primeira pista.

E o primeiro país para o qual Amy e Dan têm que ir é a França.


Eu ADORO O labirinto dos ossos. Essa foi uma das primeiras séries que eu li depois de sair dos livros infantis (e depois de acabar Eragon), então ela acabou sendo bem importante, também, para o meu desenvolvimento como leitora. Eu descobri a série depois de começar a ler Percy Jackson, já que o primeiro livro também é do Rick Riordan.

Primeiramente, as capas desses livros são mais que feias: são horríveis. As ilustrações não são nada demais, mas as barras onde ficam o título, o nome do autor e o número do livro são de trincar o rabanete de tão feias. Eu gosto do esquema das cores, mas a editora colocar umas ilustrações no meio acabou empobrecendo tudo. Só por comparação, vejam as capas em inglês:

the 39 clues capas inglês

Por outro lado, a diagramação é muito boa, as letras são grandes e espaçadas.

Como a série foi escrita por 7 pessoas diferentes, a escrita tem algumas variações. De modo geral, tudo muito bem escrito e bem humorado. Algo que me surpreendeu foi como a escrita do Rick Riordan mudou dos livros do mundo de Percy Jackson, Kane, Magnus Chase e etc. para O labirinto dos ossos. Mais impessoal, sem tantas piadinhas e trocadilhos. A sensação que me passou é que os autores precisaram “padronizar” a escrita para fazer essa série. Apesar disso, a escrita é bem fluida e, somada ao tamanho dos livros (eles são bem finos e baixinhos, quase num tamanho pocket), faz com que não seja difícil ler um livro desses por dia.

Eu realmente gosto muito das personagens de O labirinto dos ossos. Não vou mentir, eles são bem padrõezinhos. Amy e Dan são muito parecidos com Alex e Connor de Terra de Histórias, mas não quer dizer que não sejam bem construídos. Para uma série com vários autores, talvez a melhor estratégia tenha sido, sim, usar personagens menos complexos para que todo mundo conseguisse se entender na hora de escrever. Apesar disso, a evolução de todos eles conforme a história passa é incrível. Eles crescem, lidam com suas inseguranças e se tornam pessoas melhores, que arranjam um lugarzinho em nossos corações.

Não vou mentir, a história tem algumas coisas que não fazem muito sentido. Amy e Dan viajam o mundo inteiro usando o dinheiro da au pair (um tipo de babá) deles – junto com ela, claro. E, durante tudo isso, ninguém faz pergunta nenhuma sobre uma garota de 14 anos e um garoto de 12 viajando de avião, por exemplo, pra Rússia com uma universitária. Nesse aspecto, achei meio forçado. De resto, é uma série ótima para quem gosta de história, viagens e detetives. Também indico para crianças mais novas, que querem começar a ler livros mais “juvenis” e não sabem por onde começar.

Se você gostou de O labirinto dos ossos de Rick Riordan, você também vai gostar de:

Terra de histórias, de Chris Colfer;

A pirâmide vermelha, de Rick Riordan;

Como treinar o seu dragão, de Cressida Cowell.

0 Comentários

Deixe um comentário!