Dama da meia-noite – Cassandra Clare ?>

Dama da meia-noite – Cassandra Clare

Emma deseja vingança pelos seus pais. Como as mortes dos Carstairs aconteceram durante a Guerra Maligna, os nomes foram apenas adicionados à longa lista de vítimas de Sebastian Morgenstern. Já se passaram cinco anos, mas Emma sabe. Seus pais não foram mortos por Sebastian. Sebastian não talhava símbolos, nem queimava ou afogava os corpos. Sebastian matava e transformava.

Ainda assim, depois de cinco anos, Emma não tem nenhuma pista nova.

Quando Julian Blackthorn, seu parabatai, retorna de uma viagem de dois meses a Londres (ele e os outros 4 irmãos), Emma espera que sua rotina volte ao normal no Instituto de Los Angeles. Mas esses dois meses de separação parecem ter feito algumas coisas mudarem entre eles. Mudanças que não podem ser desfeitas.

Além disso, corpos de fadas mortas começam a aparecer por Los Angeles. Os símbolos talhados nos corpos são os mesmos dos corpos dos Carstairs, e Emma não pode deixar isso passar.

Porém, no meio da Paz Fria, ela deveria. Por terem auxiliado Sebastian na Guerra Maligna, as fadas não têm permissão para ter contato com outros membros do Submundo – e, principalmente, não com Caçadores de Sombras.

Emma se lança, sem nem pensar duas vezes, em um turbilhão de fadas, Blackthorn, famílias e assassinatos em busca de respostas: quem realmente matou seus pais? E por que parabatai não podem se apaixonar?


Como a boa e velha fã da Cassandra Clare, eu não pude deixar de não comprar Dama da meia-noite na pré-venda, não é mesmo (assim como Senhor das Sombras… Rainha do ar e da escuridão…)?

Eu gosto muito da capa do primeiro livro, mas não existe comparação com a capa do terceiro. A capa do terceiro entrou para os meus favoritos, e merecidamente, vamos combinar. A capa do segundo foi a que eu menos gostei, a mais meia-boca. A diagramação de todos, como sempre, impecável. Esses livros de pré-venda são edição de colecionador, então têm algumas coisas extras: contos e ilustrações. Dama da meia-noiteSenhor das Sombras têm contos extras, e Rainha do ar e da escuridão tem ilustrações oficiais lindas e maravilhosas. Vale a pena comprar essas edições, porque a Galera sempre faz um bom trabalho.

Eu adoro a escrita da Cassandra Clare, e já falei até pra enfermeira que ela é minha escritora internacional preferida. Ela nunca vai decepcionar quando o assunto é uma escrita envolvente e rápida (só assim pra sobreviver aos calhamaços, não é mesmo?). Por essa série ser bem mais atual (Cidade dos ossos foi lançado há NOVE ANOS), as críticas que a escritora faz são bem pertinentes à nossa situação atual, sobre respeito e intolerância.

Emma é a personagem que pedimos a Deus quando viemos a esse mundo como leitores: forte, independente, segura de si e sarcástica. Eu não consigo não amar um personagem sarcástico, e a Emma está no meu coraçãozinho. A autora também insere muitos personagens diferentes, bissexuais, autistas, trans… Ela já arrasou lá em 2010 com os belos personagens gays, e agora tia Cassie está virando a rainha da diversidade (pelo menos, sexual) literária.

Tenho que admitir que acho que a história se perdeu no meio do caminho. Eu esperava que fosse focar mais na busca da Emma por vingança, mas isso durou só o primeiro livro e logo a história teve uma vertente completamente diferente, focando muito na Emma e no Julian. Eu adorei a história, mas o que é introduzido para o leitor como a trama principal (a vingança de Emma) logo é encerrado para dar lugar a uma discussão mais política sobre Caçadores de Sombras nazistas. Então, para mim, no fim das contas, Dama da meia-noite foi o melhor livro da série, já que correspondeu a premissa que foi primariamente apresentada ao leitor.

Se você gostou de Dama da meia-noite, de Cassandra Clare, você vai gostar de:

Cidade dos ossos, de Cassandra Clare;

Corte de espinhos de rosas, de Sarah J. Maas;

As crônicas de Bane, de Cassandra Clare.

0 Comentários

Deixe um comentário!