Alice – Lewis Carroll ?>

Alice – Lewis Carroll

Alice é uma garota extremamente curiosa. Entediada durante a leitura de um livro com a irmã, a garota espera o momento perfeito para escapar – quando um coelho branco passa por ela, murmurando “Ai, ai! Ai, ai! Vou chegar atrasado demais!”. Só depois de o coelho tirar um relógio de bolso do colete e checar as horas é que a garota ficou surpresa e correu atrás dele.

Já dentro da toca do coelho, sem nenhuma vista do animal, Alice cai em um fundo poço que não parece ter fim. Quando a garota finalmente para de cair, segue-se a isso uma série de crescimentos e encolhimentos absurdos e uma nadada em suas próprias lágimas acompanhada de animais cantantes.

A partir daí, Alice se entranha cada vez mais no mundo em que caiu, se metendo nas situações mais absurdas possíveis e conhecendo mais pessoas estranhas do que deveria ser considerado saudável.

Todos loucos, como Alice.


Alice é o meu livro preferido da vida, sem sombra de dúvidas.

Eu tenho 3 edições do livro: Alice da editora Zahar, em português, Alice’s adventures in Wonderland & other stories, em inglês, e Alice im Wunderland, em alemão. Sem nem pensar duas vezes, a edição em alemão é a minha preferida. As ilustrações são lindas, feitas pelo Benjamin Lacombe, e a diagramação é maravilhosa. A edição em inglês também é linda, mas é cara pra caramba. As páginas são tão finas que me lembram uma bíblia. As letras são minúsculas e espremidas. Nessa edição, não tem só os dois livros da Alice (com as ilustrações originais do John Tenniel), mas também vários outros contos, poemas e sabe lá Deus mais o que que o Lewis Carroll escreveu. A edição da Zahar, por outro lado, apesar de ter uma capa meio esquisita, tem uma diagramação maravilhosa. Eu tenho problema com uma cor na lombada que não combina nada com a cor do resto da capa (que tá mais pra um mamão dissolvido). Essa edição também tem as ilustrações originais, além de um capítulo extra e notas e comentários. Tanto a minha versão em inglês quanto a em português têm os dois livros em um volume só. Fico bem triste que isso não acontece na versão em alemão, e agora só estou esperando a oportunidade de comprar o segundo livro.

A escrita do Lewis Carroll não é simples. Apesar de ser fluida, o autor coloca muitos trocadilhos, metáforas e palavras criadas que podem confundir qualquer um. Por isso, ter uma edição comentada nas mãos é a melhor coisa. Uma coisa que eu adoro do livro são os poemas. Os livros têm dezenas de poemas e canções maravilhosos, o que contribui pra toda a loucura. Meus preferidos são o do “Pargarávio” e o “A Morsa e o Carpinteiro” (ambos do segundo livro).

Tente achar um personagem são nesse livro e falhe miseravelmente. Todos eles são loucos, e cada um é mais louco que o outro. A Alice é particularmente engraçada, mas é outra doida de pedra. Ela é bem inteligente para uma criança da idade dela, o que torna todas as situações nas quais ela se mete ainda mais cômicas.

Apesar de tudo ser bem louco, a história é bem linear. Não espere uma troca de ambiente que faça sentido, porque nada faz. A história é boa exatamente por não fazer sentido. Mesmo assim, é uma história boa para crianças, por explorar bastante a criatividade.

Se você gostou de Alice, de Lewis Carroll, você vai gostar de:

O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry;

Os livros da Selva, de Rudyard Kipling;

Terra de histórias, de Chris Colfer.

0 Comentários

Deixe um comentário!