Um inimigo do povo – Hendrik Ibsen ?>

Um inimigo do povo – Hendrik Ibsen

O doutor Thomas Stockmann ama a pequena cidade balneário em que mora, na Noruega. A cidade começa a ficar famosa, e cada vez mais banhistas vão passar o verão lá. Por isso, Stockmann se sente obrigado a divulgar suas descobertas sobre a poluição das águas do balneário.

O doutor é querido e o prefeito não é ninguém menos que o seu próprio irmão. Os donos dos curtumes, principais fontes da poluição, poderiam ficar irritados. E a obra para refazer o esgoto seria trabalhosa. Mas ele espera que a população lhe seja grata – ele descobriu como melhorar a qualidade de vida dos moradores e banhistas e reduzir a incidência de doenças!

Ele só tem que tomar cuidado com as palavras, pois sua descoberta pode torná-lo um inimigo do povo.


Eu não sou muito de ler peças. Acho difícil achar uma que me interesse, porque acho que elas têm um valor maior encenadas do que lidas. Ainda assim, Um inimigo do povo foi uma leitura divertida.

A escrita do Ibsen no livro não é muito instigante. Por si só, é quase difícil. O texto é de 1882, então é de se imaginar que a linguagem não seja exatamente atual. Mesmo assim, não tive grandes dificuldades. O gênero é muito dinâmico, por se basear em diálogos.

Por incrível que pareça, eu tive uma grande conexão emocional com os personagens. Eu torci pelo sucesso do doutor Stockmann, e passei raiva do prefeito e do resto do povo da cidade. Amei a filha do doutor, e queria que ela tivesse mais presença na peça (mas Deus me livre um homem naquela época dar muito destaque a uma mulher independente). De verdade, tive uma super ligação. Fiquei surpresa com o quanto me importei com o destino dos personagens, contando com o fato de que não tem um narrador.

A história é muito boa. Li Um inimigo do povo para um curso que estou fazendo e vi claramente a conexão com o conteúdo. É interessante a temática da negação popular dos problemas ambientais em função do lucro, ainda que tenha um impacto direto com a comunidade. Não vou mentir, a trama é previsível, mas é interessante ver como ela se desenvolve e passar raiva dos mauzinhos. Só gostaria que o final tivesse sido um pouco mais trabalhado – foi extremamente abrupto, e me deixou insatisfeita com a falta de  resolução do problema.

Um inimigo do povo foi uma leitura interessante para uma pessoa que não lê peças se não for obrigada. Não acho que eu teria suportado ter visto isso em um teatro – quase não tem ação nenhuma, apenas bem no finalzinho. Ainda assim, a crítica social é interessante e não é, de todo, difícil de ler.

0 Comentários

Deixe um comentário!