Trono de Vidro – Sarah J. Maas ?>

Trono de Vidro – Sarah J. Maas

O homem que se senta no trono de vidro do reino de Adarlan destruiu a vida de Celaena, e ela está bem ciente disto. Depois de uma missão que deu errado, a mais famosa assassina de Adarlan se encontra nas minas de sal de Endovier, minerando como escrava. Quando ela está perto de perder as esperanças, Celaena recebe uma proposta: representar o príncipe de Adarlan em um torneio em troca da sua liberdade. Apenas pensar em trabalhar para o rei lhe dá asco, mas a assassina não tem um grande futuro em Endovier. Para sair de lá, ela está disposta a fazer qualquer coisa. Ela é Celaena Sardothien, e ela não terá medo.

Então ela acompanha o príncipe Dorian e o capitão da guarda Chaol Westfallen de volta a Forte da Fenda, onde se ergue o castelo de vidro do rei de Adarlan. No coração do poder do inimigo há muito mais do que um simples torneio para definir o assassino pessoal do rei. Sussurros de rebelião ecoam pelas paredes e magia há muito banida dá indícios de voltar. Celaena é contactada pelo espírito de uma rainha há muito morta e ganha mais uma tarefa importante.

Sua vida subitamente se torna um turbilhão no meio da corte e de outros assassinos, mas Celaena não tem outra opção além de suportar. Ainda assim, seu passado é uma sombra muito presente, e mostra indícios de voltar como um soco na cara, e o destino de Celaena está disposto a encontrá-la.

Tudo que acontece no palácio de vidro parece empurrá-la de volta para casa, para o passado, para o reino de origem de Celaena, que ela ama tanto, mesmo depois de tanto tempo desde a invasão de Adarlan. O homem no trono de vidro inconscientemente a empurra de volta a Terrassen.


Trono de Vidro me destruiu. Apenas. Morri. Até agora, mais de uma semana depois de acabar o último livro, ainda não superei. É uma série longa, de 8 livros, e investir emocionalmente nesses personagens por tanto tempo teve seu preço.

Acho importante colocar aqui a ordem de leitura dos livros. A série originalmente tem 6 livros, mas a Sarah J. Maas escreveu outros dois, extras, que eu acho particularmente indispensáveis para a história, se você quiser ter a melhor experiência possível com a série.

0.5 A Lâmina da Assassina
1 Trono de Vidro
2 Coroa da Meia-Noite
3 Herdeira do Fogo
4 Rainha das Sombras
5 Império de Tempestades
5.5 Torre do Alvorecer
6 Reino de Cinzas

Eu gostaria muito de ter comprado o box que a Galera Record fez este ano, mas, infelizmente, estava fora do meu orçamento. Por isso, li a maioria da série em ebook e apenas os dois últimos no formato físico. Eu nunca tenho problemas com a diagramação e qualidade dos livros da editora, então não tenho nem do que reclamar. Ainda assim, eu tenho um grande desgosto por essas capas, que eu acho horríveis. Eu tenho um problema com colocar pessoas na capa de livros, e essa tentativa de fazer essa personagem principal computadorizada ficou bem feio (mas isso está nas capas originais dos livros em inglês também).

Sarah J. Maas tem uma escrita incrível e não é de hoje que vocês vão me ver falando isso. Leve, fluida e extremamente cativante, ela transporta o leitor para o mundo de Erilea sem dó nem piedade. Fiquei super imersa na história, ainda que tenha tido muita evolução na escrita da Sarah. O primeiro livro foi lançado em 2013, e eu não gostei muito. A escrita foi melhorando ao longo dos livros, mas ler A Lâmina da Assassina entre o 3º e o 4º foi difícil – a diferença é gritante. Tendo isso em mente, Reino de Cinzas é uma obra prima. Não só em questão da escrita, mas também de história.

Trono de Vidro tem várias personagens principais, então deixe-me discutir brevemente alguns deles. Celaena (me segurando pra não dar spoiler) muda muito ao longo da narrativa, e isso não é, necessariamente, uma coisa ruim. No começo, eu não tinha certeza se gostava dela (já falei de que não gostei mesmo do primeiro livro), mas ela acabou caindo nas minhas graças. No começo, eu até gostava do Chaol, até saber que a série tinha personagens masculinos melhores. Por causa dele, criei o adjetivo “pão pita” para quando um personagem é chato e sem gosto, e dei generosas 3 estrelas no Cabeceira para Torre da Alvorada. Dorian, por outro lado, é muito subestimado e se tornou um dos meus favoritos quando ele resolveu que ser coitadinho não resolve nada. Rowan é o clássico gostosão da Sarah, e eu não estou reclamando. Meu tipo de par romântico preferido são os de professor-aluno de treinamento. Então imaginem o quanto eu aproveitei. AGORA, NINGUÉM ME SEGURA COM A MANON! Acho que ela estava no pôster da pré-venda do box da Galera ao invés da Celaena por um motivo, não é mesmo? Rainha, minha personagem preferida de tudo, junto com as Treze. Chorei as últimas 250 páginas de Reino das Cinzas toda vez que ela aparecia. Tenho que admitir que não tenho grandes comentários para fazer sobre os outros personagens – gosto dos feéricos, mas não tenho grande envolvimento com nenhuma personagem apresentada em Torre da Alvorada ou além. Todos são bem construídos, mas existe, sim, uma construção melhor dos personagens inseridos mais para a frente do livro, ou que tiveram um papel mais importante.

A história de Trono de Vidro é incrível. Fazia tempo desde que eu não ficava tão investida em uma série tão longa, e a história evoluiu muito. Como em outros aspectos, ela começa um pouco estagnada e sem graça no primeiro livro, mas toma uma direção bem diferente e culmina no final de Império de Tempestades e em Reino das Cinzas, que acabaram com o meu psicológico. O universo feérico da Sarah J. Maas já tinha me conquistado antes, e voltar a ele aqueceu meu coração gelado. Como li tudo de uma vez, vi algumas pontas soltas que eu gostaria que tivessem sido amarradas, mas são muito pequenas. Também senti falta, no final, de um fechamento um pouco melhor para o trio original (Celaena, Dorian e Chaol). Mas essas são coisas muito pequenas, superanalisadas. A história é incrivelmente bem desenvolvida, e é uma série que todo fã de fantasia deve ler.

Com isso em mente, é importante notar que existem, sim, cenas de sexo nos livros, então não dê os livros de presente de aniversário para o seu sobrinho de 12 anos que gosta de Como treinar o seu dragão. Espere mais uns 3 anos.

Em resumo, Sarah J. Maas acabou com a minha estrutura emocional e eu escrevi essa resenha ouvindo essas músicas baseadas nos livros e chorando.

Se você gostou de Trono de Vidro, você vai gostar de:

Corte de espinhos e rosas – Sarah J. Maas;

The Modern Faerie Tales – Holly Black;

Dama da meia-noite – Cassandra Clare.

0 Comentários

Deixe um comentário!