Ravena – Kami Garcia & Gabriel Picolo ?>

Ravena – Kami Garcia & Gabriel Picolo

A vida de Ravena muda quando ela e sua mãe sofrem um acidente de carro. Apenas Ravena conseguiu sobreviver, mas perdeu suas memórias no processo. Ela vai para Nova Orleans viver com a tia e terminar o ensino médio. Recomeçar não é fácil, ainda mais quando ela não lembra de coisas que a definiam, como o tipo de música que gostava ou seu chocolate preferido.

Conforme Ravena se aproxima de pessoas da sua idade – Max, a irmã adotiva, e Tommy Torres, um garoto bonitinho interessado nela, amnésia e tudo -, coisas estranhas começam a acontecer. Certas coisas que a garota deseja acontecem, como uma menina tropeçar na frente da sala inteira ou se engasgar com seu almoço.

Esses poderes desconhecidos de Ravena trazem dicas sobre seu passado que a garota não sabe se está pronta para encarar. Aparições e demônios a perseguem, e as bruxas de Nova Orleans estão mais presentes do que ela imagina.


Eu sempre fui muito fã de Jovens Titãs, desde a série na TV. A Ravena sempre foi minha favorita, junto com o Mutano. Então, quando vi que um dos meus artistas favoritos ilustrou uma graphic novel dela, precisava o quanto antes (apesar de que tive que esperar a tradução para o português).

Quem escreveu a graphic novel foi a Kami Garcia, autora de Dezesseis Luas. É tudo bem escrito, e eu gostaria que a graphic novel fosse maior, porque fiquei com gostinho de “quero mais”. A arte do Picolo é incrível, e ele foi um dos primeiros artistas que comecei a seguir no Instagram (por isso que garanti minha edição autografada da Taverna do Rei). Ele começou, na verdade, fazendo fanart dos Jovens Titãs, e foi eventualmente contratado pela DC (sonho de consumo, né?). O que me traz muita felicidade é ver um brasileiro fzendo tanto sucesso lá fora. A graphic não tem muitas cores, apenas a Ravena é colorida em todas as suas aparições. Uma escolha de estilo que me surpreendeu um pouco, mas que me acostumei.

Gosto muito dos personagens, e a graphic humanizou muito mais a Ravena do que vemos na série (em série, eu considero aqui aquele desenho animado do Cartoon Network que estreiou em 2005). Apesar de eu gostar da Ravena misteriosa e que não se aproxima dos outros, foi legal vê-la como uma adolescente de verdade, e mal posso esperar pelo seu desenvolvimento nas outras graphics.

Como já disse, achei a história um pouco curta, e gostaria de ter visto um pouco mais, ter tido mais respostas. Ainda assim, conheço o suficiente da história da Ravena para não me sentir frustrada com a falta de informações. Sinceramente, acho que a Panini demorou muito para traduzir e lançar a graphic, e recentemente a segunda da série, Mutano, foi lançada lá fora. Espero que não durmam no ponto dessa vez.

Uma graphic muito bem desenhada por um brasileiro que está nos representando muito bem no exterior, Ravena mostra o advento de uma querida personagem dos quadrinhos e das telas, e traz uma grande expectativa para os próximos trabalhos de Kami Garcia e Gabriel Picolo para a DC.

0 Comentários

Deixe um comentário!