Oryx & Crake – Margaret Atwood ?>

Oryx & Crake – Margaret Atwood

Jimmy é um dos últimos sobreviventes da doença apocalíptica que destruiu a raça humana. Ele vive em uma árvore para se proteger dos porcões e dos lobocães que mal podem esperar para devorá-lo. Ele se vira do jeito que dá com a comida que ainda não apodreceu que encontra nas casas nos Complexos e cuida dos crakers.

Os crakers são uma nova espécie humana, de olhos verdes, sem pelos corporais além dos cabelos. Eles exalam um cheiro repelente de insetos e sua urina apresenta feromônios que espantam predadores. Programados genéticamente para serem melhores que os humanos, criados em segredo dentro do prédio do Projeto Paradice pelo gênio Crake.

Crake, o maldito Crake, amigo de infância de Jimmy. O super-gênio que trabalhava ao lado de outros super-gênios. O criador dos crakers, e o catalisador do apocalipse.

Enquanto se esforça para sobreviver no meio das ruínas da sociedade e protege os crakers dos males que podem assolá-los neste mundo incerto, ele relembra sua vida e sua relação com Crake ao longo dos anos, além da bela Oryx, tão misteriosa quanto sua própria situação.


Oryx & Crake é o primeiro livro de uma trilogia distópica da Atwood, e eu tenho que dizer que esse é o melhor trabalho dela. Ainda assim, tenho certas críticas às continuações.

A escrita da Atwood nunca decepciona – fluida e bem-humorada. Os capítulos são bem curtos, o que sempre me agrada. Oryx & Crake é seguido por O ano do dilúvio, e o encerramento é feito por MaddAdão.

Por incrível que pareça, eu não gosto de muitos personagens da série – Toby e Ren, por exemplo, que são personagens principais do segundo e terceiro livros. Eu gosto muito do Jimmy, e foi ele quem fez eu me apaixonar pela série. Zeb também é muito interessante, assim como Crake, Oryx e Pilar. Mas Toby e Ren estragaram uma boa parte da experiência para mim.

O problema foi a narração. O primeiro livro é narrado pelo jimmy, e é incrível – temos uma visão de todos os eventos que levaram à situação dele. Mas os dois próximos livros são narrados pelas duas mulheres. O problema é que elas não são nem um pouco interessantes, e tive muita dificuldade em diferenciar quem era quem em O ano do dilúvio. Jimmy foi completamente descartado como personagem, trocado por duas mulheres insossas. A autora perdeu uma oportunidade ao não colocar Zeb como o narrador de MaddAdão. Sinceramente, meu interesse pela história caiu bastante sem Jimmy e seu olhar crítico sobre o mundo e as pessoas.

Oryx & Crake é uma das melhores distopias que eu já li. É uma grande crítica a o que estamos fazendo com o planeta, e como gostamos de brincar de Deus com os outros seres vivos. Vemos também a humanidade tentando sobreviver num mundo pós-apocalíptico, e como o caráter das pessoas se revela em momentos de crise.

Se você gostou de Oryx & Crake, de Margaret Atwood, você vai gostar de:

O conto da aia – Margaret Atwood;

Sobre os ossos dos mortos – Olga Tokarczuc;

A odisseia de Penélope – Margaret Atwood.

Comments are closed.