Odisseia – Homero ?>

Odisseia – Homero

Odisseu já tem muitos problemas na sua vida. Ele está há 20 anos fora de casa, por causa daquela Guerra de Troia. Ele lidou com deuses e seus filhos, feiticeiras sedutoras e monstros a torto e a direito. 10 anos na guerra e mais 10 anos pra voltar – com pequeninos obstáculos. Ele não tinha ideia que isso tudo viraria uma expressão usada até hoje: uma Odisseia.

Ele precisa voltar para casa são e salvo, encontrar seu filho e sua esposa e fazer o povo de Ítaca reconhecê-lo. Afinal, 20 anos fora de casa na Grécia Antiga mudam muito um guerreiro sofrido.

E ainda tem o problema dos pretendentes.


Eu gostei bastante desse livro. O problema é que eu o li em verso. Pelo menos foi a tradução mais fácil, do Carlos Alberto Nunes. Sim, um poema de 395 páginas. Como paradidático pro semestre inteiro. Mas, fazer o quê? Foi divertido. Mais ou menos.

Os primeiros 6 cantos são um saco. Porque é a história do Telêmaco, o filho do Odisseu. E eu acho o Telêmaco chato. Nada pessoal, é só muito mimimi. Acho que ele já tinha que ter reivindicado a casa como dele, colocado os pretendentes no lugar deles e protegido a mãe desde o começo.

Até você pegar o jeito do poema épico, você vai pensar em desistir, no mínimo, umas três vezes. Por isso, recomendo seriamente Odisseia apenas a leitores experientes – porque o livro não é moleza.

Só começa a ficar bom quando o Odisseu conta a história dele – apesar de eu ter me confundido um pouquinho. MAS a melhor parte de todas é a parte do cachorro. Quem já leu, não dê spoiler. Apenas não. É a parte mais emocionante do livro.

Sinceramente, esse livro é meio machista. Me incomodou, mas não tem muito o que fazer. Na Grécia Antiga, mulher era só um meio de prazer, de conseguir dinheiro (com o dote das filhas) ou de produzir guerreiros e herdeiros que liderariam a sociedade…

O melhor personagem – além do cachorro, que está acima desses humanos trouxas e infelizes – é o Agamémnon. E olha que ele nem é o personagem principal. Na verdade, eu só gosto dele por causa do nome. Fale em voz alta, é maravilhoso! Enfim, basicamente – basicamente mesmo – ele foi morto pela esposa e pelo amante, e o filho acabou vingando ele depois.

Apenas digam: Agamémnon.

Para mais informações sobre o livro e para futuras dúvidas na história, entre no site http://argo2.webnode.com.br (ou se você tiver preguiça de ler o livro, seu poser)!

Agamémnon.

2 Comentários

Deixe um comentário!