Cemitérios de Dragões – Raphael Draccon ?>

Cemitérios de Dragões – Raphael Draccon

Derek é um ranger americano desaparecido durante uma missão.
Ashanti é uma ruandesa rebelde, fruto de um estupro.
Amber é uma garçonete irlandesa praticante de artes marciais.
Daniel é um hacker brasileiro que só quer ajudar as pessoas.
Romain é um dublê francês que vai para Hollywood.
O Cemitério é uma dimensão condenada onde dracônicos e demônios dominam seres alienígenas, monstros e quase humanos.
A Terra é um mundo em perigo.

Depois que os 5 estranhos se veem presos na dimensão infernal, eles precisam sair de lá e salvar a Terra – sem antes salvar um pequeno reino, fazer aliados, enfrentar demônios, escapar de prisões se reunirem e percorrerem os Cemitérios de Dragões, cujo nome é autoexplicativo.
5 estranhos de países diferentes em uma dimensão estranha e o destino da Terra em suas mãos – o que poderia dar errado?


O final do livro dá uma raivinha porque você precisa do próximo. A batalha me dá uma raivinha porque o jeito como eles se chamam me lembra Power Rangers, coisa que eu não gostava. De série de heróis, minha infância foi Bakugan e Dragon Ball.

Eu amo esse livro com todas as forças, os personagens são muito engraçados, apesar de que sempre tem alguns que a gente não gosta, né? Meus favoritos são o Daniel e o Romain. Esse livro é levemente sujo, então tenha certeza que você tem maturidade para lê-lo.

As descrições dos Cemitérios de Dragões podiam realmente ser um pouquinho menos traumatizantes – são incrivelmente detalhadas e medonhas. Dá pra imaginar o Cemitério como um lugar colorido. Porque? Bem, não sei. Não pense que é um colorido como Once Upon A Time: Wonderland, porque não é. É um colorido das plantas carnívoras gigantes, dos corantes – que fazem mal pra burro -, dos sapos venenosos, que são os mais bonitos.

0 Comentários

Deixe um comentário!